Xavier do Amaral e Nicolau Lobato condecorados no sábado a título póstumo

 

O Presidente cessante timorense, José Ramos-Horta, vai condecorar no sábado a título póstumo com o Grande Colar da Ordem de Timor-Leste os antigos chefe de Estado timorenses Francisco Xavier do Amaral e Nicolau Lobato.

 

Segundo fonte da Presidência timorense, as condecorações vão realizar-se em Taci Tolu, a cinco quilómetros de Díli, onde vai decorrer a cerimónia de tomada de posse do novo Presidente do país, Taur Matan Ruak.

 

O atual primeiro-ministro e ex-Presidente timorense, Xanana Gusmão, também irá ser agraciado com o Grande Colar da Ordem de Timor-Leste.

 

Francisco Xavier do Amaral foi o primeiro Presidente timorense e o proclamador unilateral da independência a 28 de novembro de 1975, uma semana antes da invasão das tropas da Indonésia, que ocuparam Timor-Leste durante 24 anos.

 

Francisco Xavier do Amaral morreu no início de março em Díli, pouco antes das eleições presenciais às quais se apresentava como candidato.

 

Nicolau Lobato, fundador da Fretilin, foi líder militar da resistência timorense contra a ocupação indonésia e nomeado Presidente da República Democrática de Timor-Leste em 1977.

 

Nicolau Lobato foi morto em dezembro de 1978, vítima de uma emboscada dos militares da Indonésia. O palácio presidencial e o aeroporto de Díli têm o seu nome.

 

A Ordem de Timor-Leste visa reconhecer e agradecer aos nacionais e estrangeiros que pelo comportamento ou atos praticados contribuíram em benefício do país, timorenses ou Humanidade.

 

A Ordem de Timor-Leste está dividida em quatro graus: o Grande Colar (atribuído apenas a chefes de Estado), o Colar, a Medalha e a Insígnia.