Sexta-feira, 18.05.12

Dezenas de pessoas e instituições condecoradas com a Ordem de Timor-Leste

 

Dezenas de pessoas e instituições foram hoje condecoradas com a Ordem de Timor-Leste pelo Presidente da República cessante, José Ramos-Horta, por terem contribuído para a causa timorense e para o desenvolvimento do país desde a restauração da independência.

 

A Ordem de Timor-Leste visa reconhecer e agradecer aos nacionais e estrangeiros que pelo comportamento ou atos praticados contribuíram em benefício do país, timorenses ou Humanidade.

 

A Ordem de Timor-Leste está dividida em quatro graus: o Grande Colar (atribuído apenas a chefes de Estado), o Colar, a Medalha e a Insígnia.

 

Hoje foram condecorados com o Colar da Ordem de Timor-Leste os presidente do parlamento nacional do país, Fernando La Sama de Araújo, e do Supremo Tribunal de Recurso, Cláudio Ximenes, e Ana Pessoa, procuradora-geral da República.

 

O estandarte da Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin) também foi condecorado com o Colar da Ordem pela "contribuição preciosa" para a independência do país e por ser o mais antigo partido timorense, segundo afirmou José Ramos-Horta.

 

A Medalha da Ordem de Timor-Leste foi entregue a vários membros do atual governo e ao primeiro embaixador de Portugal no país, após a restauração da independência, a 20 de maio de 2002, Rui Quartin Santos.

 

O Presidente timorense quis com esta condecoração "homenagear o trabalho de Rui Quartin Santos, mas também reconhecer todos os outros embaixadores portugueses que ao longo de anos fizeram de Timor-Leste uma questão da política externa portuguesa".

 

Com a Insígnia da Ordem de Timor-Leste foram condecorados a Timor Telecom, a agência Lusa, RTP, Caixa Geral de Depósitos, a Fundação Mário Soares e outros responsáveis timorenses e estrangeiros.

 

A Timor Telecom recebeu a Insígnia da Ordem de Timor-Leste em reconhecimento pelo contributo significativo em benefício de Timor-Leste e da dignidade do povo timorense.

 

A Lusa e a RTP foram condecoradas pelo seu trabalho no país antes e depois da restauração da independência e por contribuírem para informar timorenses e estrangeiros sobre Timor-Leste.

 

A condecoração à Caixa Geral de Depósitos teve o propósito de agradecer o investimento feito no país "quando outras instituições" se recusaram a fazê-lo, salientou o Presidente timorense.

 

O chefe de Estado, que cessa funções no domingo, atribui também durante o período da tarde, numa cerimónia da sede da Missão Integrada das Nações Unidas, condecorações com a Ordem de Timor-Leste à liderança daquela missão.

 

A representante do secretário-geral da ONU, Ameerah Haq, foi agraciada com o Colar da Ordem de Timor-Leste.

 

Os vice-representantes do secretário-geral da ONU, Finn Reske-Nielsen e Shigeru Mochida, e o comandante da polícia da ONU em Timor-Leste, o superintendente português Luís Carrilho, foram agraciados com a Insígnia da Ordem.

 

A GNR foi também condecorada quarta-feira pelo Presidente José Ramos-Horta com a Medalha de Mérito pela sua intervenção determinante para salvar a vida do chefe de Estado cessante em 2008.

 

A Medalha de Mérito visa agraciar militares, polícias e civis, estrangeiros ou nacionais, que contribuíram para a paz e estabilidade nacional.

 

Timor-Leste celebra no domingo o 10.º aniversário da restauração da independência, dia em que também toma posse o novo Presidente do país, Taur Matan Ruak.

Agência Lusa recebe Insígnia da Ordem de Timor-Leste

 O presidente do Conselho de Administração da Lusa - Agência de Notícias de Portugal recebeu hoje a Insígnia da Ordem de Timor-Leste, atribuída pelo Presidente cessante timorense, José Ramos-Horta, pelo desempenho profissional em prol do país.

 

"Esta distinção é uma honra e orgulha os jornalistas e todos quantos algum dia trabalharam na Agência. Lembro, em especial, o Paulo Nogueira e o António Sampaio, nossos primeiros delegados em Jacarta e em Díli, e o então presidente da Lusa, Manuel Pedroso Marques, que teve a visão e a coragem de investir nesta antena de serviço público da Agência, em Timor", afirmou Afonso Camões no final da cerimónia.

 

A condecoração foi atribuída no âmbito das comemorações do 10º aniversário da restauração da independência do país, que se celebram domingo.

 

"Se a Ordem de Mérito nos premeia o passado e o presente, ela ilumina o que tem de ser, cada vez mais, o caminho da Agência: a internacionalização, em especial na geografia da língua portuguesa", disse o presidente da agência Lusa.

 

Afonso Camões afirmou também que na reunião agendada com o governo timorense e na audiência privada com o Presidente José Ramos-Horta manifestou a disponibilidade da Lusa para uma "parceria de futuro, ajudando a criar uma agência multimédia em Timor-Leste".

 

"É minha convicção que operar com sucesso nos mercados da lusofonia só é possível (e é também desejável) se o fizermos com bases autonomizadas ou em parceria com meios ou agências desses países", explicou Afonso Camões.

 

"O nosso desejo comum é o de projetarmos as bases de uma agência global multimédia, ancorada na língua portuguesa; e porque apostamos na expansão e internacionalização da Língua, essa parceria-pátria tem de emitir, também, nos idiomas dominantes no mercado global, em particular no inglês e no espanhol", acrescentou.

 

Além da agência Lusa foram condecorados com a Insígnia de Timor-Leste, a RTP, a Portugal Telecom e a Caixa Geral de Depósitos.

 

Na cerimónia, que decorreu no Palácio presidencial timorense, foram também atribuídas condecorações a nacionais e estrangeiros e instituições que contribuíram para o reconhecimento do Estado timorense e seu desenvolvimento.

pesquisar

 

posts recentes

Powered by

SAPO Timor

arquivos

2012

tags

Notícias LUSA