Quinta-feira, 24.05.12

Tebe no bidu tradisional halo rame festa

 

Grupu dansa oin oin hatudu dansa tradisional Timor-nian ba bainaka sira be sulin rame rame ba Dili hodi selebra, inagura no haree rasik Timor-Leste nia tinan 10 hanesan estadu independente ida.

 

Quarta-feira, 23.05.12

"Xanana Gusmão e os Primeiros 10 anos da Construção do Estado Timorense"


 

A primeira década de Timor-Leste pela voz de Xanana Gusmão
Livro constitui um testemunho fundamental sobre o que foram os primeiros dez anos da construção do Estado timorense.

A Porto Editora anuncia a publicação de "Xanana Gusmão e os primeiros 10 anos da construção do Estado timorense", da autoria de Kay Rala Xanana Gusmão. Este livro será apresentado oficialmente em Díli, durante a Feira do Livro Português, chegando também, entretanto, às livrarias portuguesas.

 

A importância histórica e política desta obra é confirmada pelo facto de o livro ter Prefácios de Aníbal Cavaco Silva, Durão Barroso, Jorge Sampaio e António Guterres, personalidades que, em dado momento, tiveram participação direta no longo processo de autodeterminação e independência de Timor-Leste.

 

“Hoje, assumimos, com humildade e perante a Comunidade Internacional, as nossas obrigações para com o nosso Povo. Quisemos ser nós mesmos, quisemos orgulhar-nos de sermos nós próprios, um Povo e uma Nação”. Estas palavras foram ditas por Xanana Gusmão, no seu discurso a 20 de maio de 2002, data que entrou para a História como a da fundação da República de Timor-Leste, livre e independente. Dez anos depois, esse orgulho e esse sentido de responsabilidade de todo um povo estão bem patentes nas mais de 600 páginas em que Xanana Gusmão, indiscutivelmente o rosto e a voz dos timorenses reconhecida em todo o mundo, revisita, através dos seus discursos, o que foi a primeira década de Timor-Leste.

 

Escrito na primeira pessoa, este livro permite compreender as dificuldades e desafios que se colocam a uma jovem Nação, saída de uma situação de pós-conflito, na árdua tarefa de construção de um Estado de Direito democrático.

 

O período abrangido por este livro corresponde aos momentos mais significativos vividos por Timor-Leste como Nação soberana e independente, sendo que os discursos versam, sobretudo, a visão do autor na construção do Estado, na promoção da paz e da reconciliação nacional, na procura da estabilidade e na consolidação das relações entre Timor-Leste e a comunidade internacional, com destaque para os seus vizinhos na região e os países amigos da CPLP.

 

Xanana Gusmão é um líder histórico da resistência pela independência de Timor-Leste, uma das mais jovens democracias do mundo. Foi o primeiro Presidente da República deste país, e neste momento, exerce as funções de Primeiro-Ministro e Ministro da Defesa e Segurança.

 

Com prefácio de:
Aníbal Cavaco Silva
Durão Barroso
Jorge Sampaio
António Guterres

 

Dos Prefácios:

“Em colaboração estreita e leal com os restantes Pais Fundadores da República, Xanana Gusmão colocou Timor num patamar elevado, o que permite alimentar a legítima expetativa de que o contributo deste país para a paz, a segurança e a prosperidade coletivas será cada vez maior.”


Xanana Gusmão, um dos Pais Fundadores da República, Aníbal Cavaco Silva

“A luta timorense narra-se na primeira pessoa do plural e o verdadeiro herói foi todo o seu povo. Mas Xanana Gusmão foi um dos personagens maiores dessa luta e tornou-se um verdadeiro símbolo do Timor-Leste independente.”


Timor-Leste: uma inspiração para o mundo, José Manuel Durão Barroso

“A consolidação do regime constitucional, cujo registo está feito na coleção das intervenções políticas de Xanana Gusmão, torna, por definição, as instituições mais importantes do que os homens. Mas, no nosso tempo, poucos tiveram, como Xanana Gusmão, o privilégio de serem os fundadores de uma nova nação.”


A importância de ser Xanana Gusmão, Jorge Sampaio

“A visão, a coragem e a liderança de Xanana Gusmão galvanizaram o heroísmo do povo de Timor-Leste e acabaram por tornar possível a independência deste belo país – um sonho em que muitas pessoas tinham deixado de acreditar há muito tempo.”


A liderança empenhada de Xanana Gusmão, António Guterres

Português João Baeta é primeiro do mundo a concluir travessia a nado entre Ataúro e Díli

João Baeta recebeu do antigo Presidente timorense José Ramos-Horta a Medalha de Mérito, por ter aceitado o desafio, patrocinado pela Presidência de Timor-Leste

 

 

 Na segunda-feira, João Baeta tornou-se no primeiro nadador de águas abertasa fazer a travessia de cerca de 30 quilómetros entre Ataúro e Díli, em 10:14.

 

 

"Quando entrei dentro de água só tinha um objetivo que era chegar a terra e nunca pensei em desistir. Pelo contrário, pensei em todos os treinos que fiz com o meu treinador, a dedicação dele e foi também porque não via o meu país há seis meses e foi uma prenda que lhe quis dar", afirmou o atleta.

V Feira do Livro de Dili celebra os 10 anos de Timor

 

Prezidente Cavaco Silva mos hakat ba Feira Livru Dili ba dala 5 hamutuk ho ninia komitiva tomak.

 

 

Prezidente Republika Cavaco Silva akompaña ho ninia kaben Maria Cavaco Silva no

Primeiru Ministru Timor Xanana Gusmão durante inaugurasaun Feira Livru Dili, Timor Leste,

22 maiu  2012. PAULO CARRICO / LUSA

 

 

 

 

Prezidente Republika Cavaco Silva akompaña ho ninia kaben Maria Cavaco Silva,

no Prezidente Timor, Taur Matan Ruak, no Primeiru Ministru Timor Xanana Gusmão

durante inaugurasaun Feira Livru  Dili, Timor-Leste,

22 maiu 2012. PAULO CARRICO / LUSA

 

 

Prezidente Republika Cavaco Silva no Ministru Negosiu Estranjeiru Paulo portas

durante inaugurasaun Feira Livru Dili, Timor Leste,

22 maiu  2012. PAULO CARRICO / LUSA

Comemorações em Oeiras do 10 aniversário da independência de Timor-Leste

 

Terça-feira, 22.05.12

Cavaco salienta que Portugal e Indonésia são agora "parceiros" no apoio a Timor-Leste

O Presidente da República, Cavaco Silva, sublinhou hoje que Portugal e a Indonésia são agora "parceiros no apoio ao desenvolvimento económico e social de Timor-Leste", e reafirmou o apoio nacional à candidatura timorense à ASEAN.

 

"Atribuo um significado muito particular à minha participação juntamente com o presidente Susilo Bambang Yudhoyono na celebração dos 10 anos da independência de Timor e na tomada de posse do novo Presidente da República", afirmou Cavaco Silva, no final na conferência de imprensa, sem direito a perguntas, que se seguiu ao encontro entre os dois chefes de Estado e que marca o início da sua visita de Estado à Indonésia.

Na sua declaração, o chefe de Estado português - que chegou hoje a Jacarta diretamente de Díli - frisou que "Portugal e a Indonésia são neste momento parceiros no apoio ao desenvolvimento económico e social de Timor-Leste".

 

Cavaco Silva fez ainda questão de reafirmar o apoio de Portugal à candidatura timorense à Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN), organização onde a Indonésia detém uma posição muito forte.

 

"Estou certo que dentro em pouco Timor-Leste será mais um membro da ASEAN", afirmou.

Segunda-feira, 21.05.12

Paulo Nogueira: "Aqueles liurais tinham-me dito que iam desfazer um pacto de sangue"

 

“Naquela segunda feira de manhã ( 20 de Maio 2002) , testemunhei um acontecimento impar para mim: no Palácio do Governo, em Díli, uma delegação de liurais entregava uma bandeira de Portugal a Jorge Sampaio, então Presidente da República Portuguesa, recebendo em troca um exemplar da Constituição da República Portuguesa. E aqueles liurais tinham-me dito que iam àquela cerimonia desfazer um pacto de sangue que diziam ter sido celebrado séculos antes por representantes dos reinos de Timor e de Portugal. Sem aquela cerimonia , tinham argumentado, os seus povos não se sentiriam verdadeiramente independentes.

 



(…) O tratado da bandeira de 1703 terá sido celebrado com “juramento de sangue” , constituindo , por isso, um “pacto sagrado”.  (…) Para alguns timorenses, não sei quantos, a razão da cerimonia bilateral da manhã de 20 de Maio de 2002 foi o fim dessa aliança sagrada. Para mim também. Na memória de alguns timorenses , o tratado da bandeira faz parte da sua História e tinha um valor mítico que foi preciso anular para que se sentissem livres, para serem independentes. Naquela cerimónia simbólica , no Palácio colonial, substituíram a descolonização que nunca tiveram pela exoneração de uma aliança em que tinham ficado sozinhos. “

 

 

Texto: Paulo Nogueira in " Por Timor - Memórias de dez anos de Independência" - Sónia Neto. Maio 2012. Fotos gentilmente cedidas por Paulo Nogueira.

Ana Gomes em entrevista ao SAPO Timor-Leste ( versão completa)

Ana Gomes recorda a primeira vez que aterrou em Timor-Leste, um dia em que sentiu o peso da História sobre os ombros. Chegou a Díli com Afonso Malheiro e nessa altura era chefe da Secção de Interesses de Portugal , na embaixada da Holanda,  porque Portugal não tinha embaixada na Indonésia. Dez anos depois acredita que Portugal podia ter feito mais e melhor.

 

“Timor não era uma questão que o tempo resolveria “

 



Para Ana Gomes os timorenses foram os actores decisivos que nunca desistiram da luta. Ao viver pessoal e profissionalmente os dramas das pessoas, nessa noite ( 20 de Maio 2002) passou-lhe tudo pela cabeça, sendo que o momento mais angustiante foi o dia após o referendo porque sabiam que ia haver violência.

“Os timorenses foram os actores decisivos”



“Timor-Leste está a aprender, tem 10 anos de independência, nós temos 900 anos e ainda estamos a aprender a funcionar de forma democrática e independente” adianta Ana Gomes, referindo que o maior desafio actual é o da educação/ capacitação dos órgãos do Estado e da sociedade civil. Por fim desabafa que até gostava de viver no país.
“Timor-Leste demonstrou que é um Estado viável”

pesquisar

 

posts recentes

Powered by

SAPO Timor

mais comentados

arquivos

2012

tags

Notícias LUSA